Translate

sábado, 2 de fevereiro de 2013

O JARDIM DE GEORGE HARRISON



             George Harrison, sensível e apaixonado jardineiro.

                     
                                  Em Friar Park, para a capa de
                                      'All Things Must Pass'



George Harrison foi um jardineiro criativo e dedicado em Friar Park, a mansão neo-gótica vitoriana de 120 quartos  adquirida em 1970.

jardim de fantasia vitoriana criado por Sir Frank Crisp, em 1896, foi restaurado por George Harrison. São 12 hectares com labirintos, grutas, passagens subterrâneas e um jardim de pedras alpine em escala de Matterhorn.

                          
                                                     
                                          Nos jardins de Friar Park

                       
                 
                         

                     
   
                                                                                                                                               
                                        
                                      Antigos cartõs postais "The Alpine Gardens"

       
                                                

                   
                             http://www.beatlelinks.net/forums/showthread.php?p=1047303


Após a separação dos Beatles, George Harrison
'só queria ser um jardineiro plantando para a próxima geração '.

Harrison e sua mulher Olivia restauraram os extensos jardins e as fontes de água originalmente concebidas.

  Chelsea Flower Show 2008

 Como celebração de sua vida, música e filosofia,
foi apresentado no Chelsea Flower Show de maio de 2008
um jardim - metáfora de suas escolhas.


              " De Vida em Vida, Um Jardim Para George"
                        
 a viagem do material para o mundo espiritual.

                                

          

Garden for George

  Em 2011 Martin Scorsese fez o documentário, uma obra de arte: 

                  George Harrison: Vivendo no Mundo Material


Ao assisti-lo, se compreende porque suas músicas nos trazem prazer e emoção. George revela sua escolha de ser sincero consigo mesmo.

O filme fala sobre os primeiros anos dos Beatles e as relações entre eles. Da necessidade de George de sair dos holofotes e começar sua própria jornada, de encontrar algo mais na vida. E su
as escolhas foram alimentados por sua paixão pela música.


Ao assistir o documentário, se tem a noção de quão especial era George. Sempre que pensamos da vida de uma estrela do rock, pensamos no sucesso, fama e fortuna ... mas isto era a base de uma prisão que ele estava construindo em torno de si. D
eixou tudo para trás e foi buscar o que realmente importava.

 
Comove ouvir Dhani Harrison  dizer que quando criança não sabia que o pai  "era mais que um jardineiro"...  porque sempre o via dedicado ao  jardim.


Ouvir o próprio George falar da importância de  cultivar a vida espiritual...

E sobre "My  Sweet  Lord":  é um mantra... declara escolher viver o  mais importante, não perder tempo com o que não não tem significado. A vida é muito mais.
 

O depoimento de Astrid Kirchherr sobre as fotos tiradas no estúdio de Sutcliffe.
A emoção de Lennon ao lembrar do amigo falecido e a presença de George que o ampara e conforta sem dizer palavra...

Sua presença ao lado de John, que parece se despedaçar de dor, é o tipo de dom que encontramos em sua música. Nos conforta e anima para seguir adiante.

 Saber d
essas histórias me fez parar e ouvir suas músicas novamente, refletir, me voltar para o que realmente importa...


 O
documentário age como uma reflexão sobre a vida, as paixões e as visão de mundo. T
raz a volta à infância, quando a maioria de nós tem a certeza de esperar por um mundo melhor.

George Harrison foi não só um grande músico, era um ser humano especial.
Ele é, apenas sendo ele mesmo, um ser inspirador.



 O site de George: www.georgeharrison.com

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário